Artigos

Confirmados na Fé

confirmao2

A Confirmação é o sacramento que completa o Baptismo e pelo qual recebemos o dom do Espírito Santo.
Quem se decide livremente por uma vida como filho de Deus e pede o Espírito de Deus, sob o sinal da imposição das mãos e da unção do óleo do Crisma, obtém a força para testemunhar o amor e o poder de Deus com palavras e actos.
Essa pessoa agora é membro legítimo e responsável da Igreja Católica.
Chama-se Crisma {nas Igrejas Orientais: Crismação com o Santo Myron} por causa do rito essencial que é a unção. Chama-se Confirmação, porque confirma e reforça a graça baptismal.
O óleo do Crisma é composto de óleo de oliveira {azeite} perfumado com resina balsâmica.
Na manhã da Quinta-feira Santa, o bispo consagra-o para ser utilizado no Baptismo, na Confirmação, na Ordenação dos sacerdotes e dos bispos e na consagração dos altares e dos sinos.
O óleo representa a alegria, a força e a saúde. Quem é ungido com o Crisma deve difundir o bom perfume de Cristo (cf. II Cor 2,15).
AddThis Social Bookmark Button

1º Dia Diocesano da Música Litúrgica

dia diocesano_da_Musica_liturgicaA Diocese de Viana do Castelo vai promover, a 03 de Novembro do ano em curso, no Auditório Paulo VI na vila de Darque, o 1º Dia Diocesano da Música Litúrgica.

Esta iniciativa, promovida pelo Secretariado Diocesano de Liturgia de Viana do Castelo e integrada no dia da Diocese, é um dia formativo “para todos os Grupos Corais da Diocese”, com “grande destaque para a Apresentação do Cantoral Nacional para a Liturgia”, recentemente publicado pelo Secretariado Nacional de Liturgia, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

A abertura dos trabalhos, 09h30, é feita por D. Anacleto Oliveira, Bispo de Viana do Castelo, e 15 minutos depois {09h45} é apresentado o Cantoral Nacional por Emanuel Pacheco - Serviço Nacional de Música Sacra.

O resto da manhã {10h45} é preenchido com vários workshops {formação} sobre canto, direcção coral e órgão que vão ser orientados por Vítor Lima; Emanuel Pacheco e Padre Jorge Barbosa, respectivamente.

Às 11h45, haverá ensaio geral para a celebração litúrgica e às 12h45, almoço, da responsabilidade de cada grupo participante.

Só com a devida formação dos leigos neste campo, é possível reduzir a influência musical de pouca qualidade”, lê-se na nota.

A eucaristia, às 15h30, encerra os trabalhos e é presidida por D. Anacleto Oliveira.

Os Grupos Corais Litúrgicos podem inscrever-se através de: This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Viana do Castelo, 16 Out 2019

Cantoral Nacional

Sobre o primeiro ”CANTORAL NACIONAL PARA A LITURGIA", aprovado em Julho do corrente ano, pela Conferência Episcopal Portuguesa e confirmado pela Santa Sé:

Este repertório procura não só evidenciar o significado e o papel do canto na celebração litúrgica, mas também responder ao pedido de um reportório nacional, em condições de sugerir alguns critérios fundamentais que orientem na escolha dos cânticos e garantam a dignidade das celebrações nas Dioceses portuguesas”, explica o presidente da Comissão Episcopal da Liturgia e Espiritualidade, D. José Cordeiro.

Num comunicado, o SNL informa que o ‘Cantoral Nacional para a Liturgia, responde a “uma dupla exigência” e “reconhece cânticos adequados” às celebrações litúrgicas, partindo da produção tradicional e também dos últimos decénios, isto é, “cânticos com textos e melodias novas, e cânticos com textos novos e melodias preexistentes”.

A outra exigência da nova publicação é que “difunde, mediante escolhas feitas”, a alguns critérios de reconhecimento e seleção de cânticos, “que ajudem a uma escolha mais atenta a nível local”.

Segundo o Secretariado Nacional da Liturgia a seleção dos cânticos “a maioria são em língua portuguesa, mas alguns são em língua latina, normalmente da tradição gregoriana” foi da responsabilidade do Serviço Nacional de Música Sacra que “reuniu uma equipa de pessoas de várias Dioceses de Portugal” e com “formação musical e litúrgica de diferentes sensibilidades”.

Mantiveram-se alguns cânticos de índole popular e também outros de âmbito local que pareceu continuarem a ser muito úteis. Estes cânticos mereceram ser eleitos pelo apreço dos fiéis que os usam com ativa participação e grande proveito espiritual”, assinala D. José Cordeiro.

O processo foi longo, refletido e amadurecido – incluindo a consulta de publicações anteriores – e contou com uma vasta participação de pessoas ligadas à Música Sacra e ao Canto Litúrgico, nomeadamente os delegados diocesanos ao Serviço Nacional de Música Sacra, diretores de coros e outros, que fizeram chegar os seus contributos”, desenvolve.

Segundo o também Bispo de Bragança-Miranda a publicação “proporciona cânticos para qualquer celebração, não esgotando as muitas e variadas celebrações litúrgicas”, à excepção da Liturgia das Horas que tem as publicações próprias.

O primeiroCantoral Nacional para a Liturgia" para além de aprovado pela Conferência Episcopal Portuguesa foi confirmado pela Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

O Cantoral Nacional responde a uma dupla exigência:

  1. Reconhece cânticos adequados às celebrações litúrgicas, partindo da produção tradicional e também dos últimos decénios (cânticos com textos e melodias novas, e cânticos com textos novos e melodias pré-existentes);
  2. Difunde, mediante escolhas feitas, alguns critérios de reconhecimento e selecção de cânticos, que ajudem a uma escolha mais atenta a nível local

O Secretariado Nacional da Liturgia informa também que publicou o livro “Salmos Responsoriais, domingos, festas principais e comuns (Ano A, B e C)”, com música de António Azevedo Oliveira.

AddThis Social Bookmark Button

Patrono Diocesano da Catequese

Painel 2O Secretariado Diocesano da Catequese de Viana do Castelo informa que São Bartolomeu dos Mártires, foi apresentado como Patrono da Catequese, na primeira Assembleia Diocesana da Catequese, ocorrida no passado dia 29 de Setembro na cidade de Valença. Este evento contou com a participação de 350 pessoas, entre elas, catequistas e famílias.

D. Anacleto de Oliveira, dissertou sob o tema “Novos desafios para a Catequese”, tendo em conta os pilares da catequese {página 15 da sua Carta Pastoral “Somos Igreja que Acolhe”}, a saber: «Ver Carta Pastoral neste site»

1. Catequese querigmática, isto é, do anúncio, centrada no encontro pessoal dos catequizandos com Jesus Cristo; pais e catequistas, somos mediadores desse encontro que tem de envolver a pessoa toda, cabeça (conhecê-Lo, à Sua ação e à Sua Palavra), coração (sentir o que se conhece) e mãos (fazer o que se conhece e se sente).

2. Catequese comunitária, porque é nela que as famílias se integram; a comunidade tem de assumir a Catequese como tarefa sua, formando e enviando catequistas, mas acompanhando e acolhendo o que vai sendo feito; a participação da criança na Eucaristia é fundamental, porque é nela que a comunidade se reúne e, os mais novos, ao ver o que ela faz (cantar, rezar, viver) imita-a, mais ainda, se os pais estiveram ao seu lado, fazendo o mesmo: cabeça, coração e mãos.

3. Catequese adaptada às características dos destinatários. "Dar catequese sem forte ligação aos pais, é esquecer a dimensão fundamental da criança, que faz o que os pais fizerem, que quer ser como eles e pensar como eles. A melhor imagem de Deus para uma criança é compará-Lo com a mãe ou o pai”, afirmou.

Dando a sua própria experiência, D. Anacleto referiu ainda que o adolescente já não quer ser confundido com uma criança; o nº 137 da Exortação Apostólica “Cristo vive” diz que o adolescente se caracteriza por sonhos, relações, propósitos, experiências, escolhas e que é projetado para a frente, para a autonomia, mas não na solidão. É a fase da amizade, que se funda no encontro (juntam-se, brincam, rezam, jogam) e no confronto (um desafio comum, une-os muito).

Mais tarde, houve a projeção de um documentário que apresenta múltiplos testemunhos sobre experiências já em curso, algumas consolidadas, de Catequese Familiar e de novos caminhos para a Catequese com Adolescentes, incluindo o Projeto Say Yes, de preparação para as Jornadas Mundiais da Juventude em 2022, em Lisboa.

À tarde, foram homenageados aqueles que têm trabalhado para a Catequese Diocesana, com particular relevo para Monsenhor Joaquim Vilar, responsável pelas estrutura e dinâmica da Catequese, que ainda subsiste na Diocese.

[In Notícias de Viana]

AddThis Social Bookmark Button

Diocese publica novo livro sobre São Bartolomeu dos Mártires

Livro de_SBMartiresEsta obra procura explicar vida e mensagem do novo santo português em linguagem para todas as idades

O Secretariado Diocesano da Catequese de Viana do Castelo e a Paróquia de Nossa Senhora de Monserrate vão publicar em Outubro {mês em curso} um livro dedicado à vida e mensagem de São Bartolomeu dos Mártires.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, o Padre Vasco Gonçalves assinala que a nova publicação é uma “preciosidade” para crianças, adolescentes, jovens e também adultos,essencial no contexto da Educação Cristã”, da Catequese, da Pastoral Juvenil, da disciplina de EMRC | Educação Moral e Religiosa Católica.

No início do Ano Pastoral 2019/2020, o Sacerdote assinala que o novo livro com “a vida e mensagem” São Bartolomeu dos Mártires surge também no contexto da “celebração de Accão de Graças pela canonização de São Bartolomeu dos Mártires, nos dias 09 e 10 Novembro”, explica o Sacerdote.

A publicação da responsabilidade do Secretariado Diocesano da Catequese e da Paróquia de Nossa Senhora de Monserrate, em Viana do Castelo, é um livro “de capa dura, próximo do tamanho de uma folha A4, ilustrado, a cores”.

A 06 de Julho, um comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé informou que o Papa Francisco estendeu a toda a Igreja o culto litúrgico a Frei Bartolomeu dos Mártires, inscrevendo-o no livro dos santos dos santos por canonização equipolente, um processo instituído no século XVIII por Bento XIV, através do qual o Papa “vincula a Igreja como um todo para que observe a veneração de um Servo de Deus ainda não canonizado pela inserção de sua festividade no calendário litúrgico da Igreja universal, com Missa e Ofício Divino”.

Em Janeiro de 2016, o Papa tinha autorizado a canonização, sem a necessidade de um novo milagre atribuído à intercessão do Beato.

O Arcebispo português, que se afirmou como uma das vozes de referência no Concílio de Trento {1543 – 1563}, foi declarado venerável a 23 de Março de 1845, pelo Papa Gregório XVI, e beatificado a 04 de Novembro de 2001, pelo Papa João Paulo II.

Frei Bartolomeu dos Mártires, de seu nome Bartolomeu Fernandes, nasceu em Lisboa a 03 de  Maio de 1514; foi Arcebispo de Braga numa ocasião em que a Arquidiocese incluía os territórios das Dioceses de Braga, Bragança, Vila Real e Viana do Castelo, cidade onde faleceu a 16 de Julho de 1590 e na qual está sepultado.

O novo Santo destacou-se pela sua missão pastoral à frente das comunidades católicas do Minho e de Trás-os-Montes, com especial relevo para o seu gosto pelas visitas pastorais às populações, a que dedicava grande parte do seu tempo.

Ao longo do seu percurso, D. Frei Bartolomeu dos Mártires ficou conhecido pela sua preocupação com a estruturação da Igreja Católica local, do clero às comunidades católicas, e pelo seu empenho nas causas sociais, de modo particular junto dos mais pobres e doentes,

Viana do Castelo, 15 Out 2019 {Ecclesia}

AddThis Social Bookmark Button

Balcão Informativo - Viana do Castelo

ZIFA Associação Florestal do Lima, numa perspectiva de melhoria contínua do apoio aos proprietários florestais, passa a dispor de um balcão informativo permanente no concelho de Viana do Castelo. Este novo serviço resulta de um protocolo estabelecido com o Município de Viana do Castelo e tem como objectivo assegurar aos proprietários florestais informação e apoio técnico qualificados em áreas como a gestão e o ordenamento florestal, a certificação florestal, a defesa da floresta, o cadastro florestal e apoios ao investimento.

O balcão informativo terá técnicos disponíveis para atendimento aos proprietários às sextas-feiras, das 09h00 às 13h00, no Serviço de Atendimento ao Munícipe da Câmara Municipal de Viana do Castelo, sito no Passeio das Mordomas da Romaria.

Na expectativa de que este novo serviço possa responder de uma forma eficaz às necessidades dos proprietários florestais do concelho, a AFL aguarda a visita de todos os interessados a este novo espaço.

AddThis Social Bookmark Button