Patrono Diocesano da Catequese

Painel 2O Secretariado Diocesano da Catequese de Viana do Castelo informa que São Bartolomeu dos Mártires, foi apresentado como Patrono da Catequese, na primeira Assembleia Diocesana da Catequese, ocorrida no passado dia 29 de Setembro na cidade de Valença. Este evento contou com a participação de 350 pessoas, entre elas, catequistas e famílias.

D. Anacleto de Oliveira, dissertou sob o tema “Novos desafios para a Catequese”, tendo em conta os pilares da catequese {página 15 da sua Carta Pastoral “Somos Igreja que Acolhe”}, a saber: «Ver Carta Pastoral neste site»

1. Catequese querigmática, isto é, do anúncio, centrada no encontro pessoal dos catequizandos com Jesus Cristo; pais e catequistas, somos mediadores desse encontro que tem de envolver a pessoa toda, cabeça (conhecê-Lo, à Sua ação e à Sua Palavra), coração (sentir o que se conhece) e mãos (fazer o que se conhece e se sente).

2. Catequese comunitária, porque é nela que as famílias se integram; a comunidade tem de assumir a Catequese como tarefa sua, formando e enviando catequistas, mas acompanhando e acolhendo o que vai sendo feito; a participação da criança na Eucaristia é fundamental, porque é nela que a comunidade se reúne e, os mais novos, ao ver o que ela faz (cantar, rezar, viver) imita-a, mais ainda, se os pais estiveram ao seu lado, fazendo o mesmo: cabeça, coração e mãos.

3. Catequese adaptada às características dos destinatários. "Dar catequese sem forte ligação aos pais, é esquecer a dimensão fundamental da criança, que faz o que os pais fizerem, que quer ser como eles e pensar como eles. A melhor imagem de Deus para uma criança é compará-Lo com a mãe ou o pai”, afirmou.

Dando a sua própria experiência, D. Anacleto referiu ainda que o adolescente já não quer ser confundido com uma criança; o nº 137 da Exortação Apostólica “Cristo vive” diz que o adolescente se caracteriza por sonhos, relações, propósitos, experiências, escolhas e que é projetado para a frente, para a autonomia, mas não na solidão. É a fase da amizade, que se funda no encontro (juntam-se, brincam, rezam, jogam) e no confronto (um desafio comum, une-os muito).

Mais tarde, houve a projeção de um documentário que apresenta múltiplos testemunhos sobre experiências já em curso, algumas consolidadas, de Catequese Familiar e de novos caminhos para a Catequese com Adolescentes, incluindo o Projeto Say Yes, de preparação para as Jornadas Mundiais da Juventude em 2022, em Lisboa.

À tarde, foram homenageados aqueles que têm trabalhado para a Catequese Diocesana, com particular relevo para Monsenhor Joaquim Vilar, responsável pelas estrutura e dinâmica da Catequese, que ainda subsiste na Diocese.

[In Notícias de Viana]

AddThis Social Bookmark Button