Nota do Administrador Diocesano

primeiro aniversario_bispoCaros Diocesanos e Diocesanas, há um ano atrás, preparávamo-nos para iniciar um novo ano pastoral; um ano que iria começar com a memória ainda viva da comemoração do décimo aniversário da entrada solene na nossa Diocese do senhor D. Anacleto Oliveira. No entanto, no dia 18 de Setembro, ao cair da tarde, vimo-nos diante de uma notícia, como um contragolpe inesperado. Aquele que durante anos tinha percorrido, à semelhança de São Bartolomeu do Mártires, os caminhos e veredas desta Diocese de Viana do Castelo, tinha sido vítima de um acidente trágico de viação, nessa mesma manhã.

Já a reatar a atividade eclesial, depois da grave crise sanitária, que à maioria de nós confinou em suas casas, e sedentos de reencontros, acolhemos a inesperada notícia da morte de D. Anacleto de Oliveira com profundo sentimento de orfandade, mas foi esse também o momento de uma profunda memória agradecida, que sensibilizou todas as nossas comunidades.

É, precisamente, esse o rasto que, ainda hoje, queremos seguir: a memória de tantos encontros e palavras, em múltiplos lugares; de tantas confidências, emoções, sorrisos e preocupações partilhadas, mas, acima de tudo, memória da Páscoa de Jesus na Páscoa pessoal de D. Anacleto Oliveira e, com ela, a nossa oração, por e com ele.

Neste sentido, no dia 18 de Setembro, sábado, ocasião do primeiro aniversário do seu falecimento, peço que nos unamos em Assembleia Santa com esta mesma intenção. Na tarde desse dia, celebrarei a Eucaristia Vespertina do XXV Domingo do Tempo Comum, na Sé Catedral, pelas 18h00, com essa mesma intenção. Rogo também a todos os Sacerdotes que, nas celebrações a que presidirem, nesse dia ou no seguinte (paróquias e capelanias), coloquem a pessoa do Senhor D. Anacleto, como a sua primeira intenção.

«Quem quiser ser o primeiro será o último de todos e o servo de todos», escutaremos no Evangelho proposto pela liturgia desse Domingo, despertando em nós a memória do lema episcopal de D. Anacleto Oliveira: “Escravo de todos”. Que nos sintamos unidos nesta vontade de servir o Senhor, o eterno pastor, e os Irmãos (a Igreja).

O Administrador Diocesano

Monsenhor Sebastião Pires Ferreira

AddThis Social Bookmark Button